Mensagem Pastoral

CUIDADO COM AS INFLUÊNCIAS!

10 Fev 2019Pr. Hércio Fônseca

“Não vos enganeis. As más companhias corrompem os bons costumes.”
(1 Coríntios 15.33)

Desde cedo ouvimos conselhos dos nossos pais nos dizendo para ficarmos atentos quanto as nossas companhias. Não imaginamos o quanto podemos sofrer influências em nossos relacionamentos. Além dos conselhos bíblicos, a própria vida nos mostra que, constantemente, somos influenciados, positiva ou negativamente, por pessoas com quem convivemos.

É certo que precisamos nos relacionar uns com os outros, precisamos construir amizades e criar mecanismos para vivermos em sociedade. Mas, para isso, é necessário conhecer muito bem aqueles que gostaríamos que pertencessem ao nosso círculo de amizades. Olhando essa realidade, observamos que, em nossos dias, facilmente chamamos alguém de amigo sem uma convivência mais profunda e um relacionamento mais íntimo. Acreditamos que, por essa razão, as amizades são tão superficiais e  frágeis.

O   mundo   moderno, com muita facilidade,  constrói pontes para os nossos relacionamentos. Vivemos no tempo das redes sociais que facilitam a nossa comunicação. Contudo, é necessário ter bastante cuidado ao usarmos  tudo isso, se para glorificar a Deus ou, simplesmente, para brincar com as pessoas e com os seus sentimentos.

Embora  existam tantas formas facilitadoras para os relacionamentos, temos observado uma banalização em nossas conversas e em nossas opiniões. É lastimável presenciarmos no Instagran e Facebook, por exemplo, irmãos jogando fora a oportunidade de abençoar vidas e instruí-las com a palavra de Deus, desperdiçando o tempo e o talento em  conversas  desprezíveis que para  nada servem.

O apóstolo Paulo, em 1 Coríntios 15.33, traz uma advertência muito importante acerca das nossas amizades: “Não se deixem enganar: “as más companhias corrompem os bons costumes”. Os amigos, ou não, influenciam os nossos pensamentos, as nossas condutas e até as nossas decisões. Por essa razão, precisamos ter muito cuidado com quem estamos compartilhando a nossa intimidade e com quem estamos abrindo o nosso coração.

Precisamos fazer uma boa avaliação das pessoas com quem nos relacionamos ou que nos seguem. Oriento você a fazer uma boa revisão em seus contatos, observando a influência deles em sua vida, aferindo os comentários e as opiniões que você tem recebido, se servem para sua edificação ou se só tem trazido conflito para a sua vida.

O nosso foco precisa ser a glória de Deus. Não podemos esquecer o que nos orienta a Palavra de Deus quando nos ensina: “Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus”. (1 Coríntios 10.31).

Voltar