Mensagem Pastoral

AMADOS PELO PAI!

31 Mar 2019Pr. Hércio Fônseca

“Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados filhos de Deus, o que de fato somos! Por isso o mundo não nos conhece, porque não o conheceu.”
(1 João 3.1)

Como o pai que acolhe os filhos nos braços ao fim de um dia longo e cansativo, assim Deus anseia envolver-nos em Seus abraços. Qualquer que seja a história da nossa vida, precisamos experimentar os braços amorosos do Pai; precisamos deitar no abrigo do amor que Ele oferece e escutar o pulsar do Seu coração.

A vida tem-me ofertado a alegria de desfrutar do cuidado e amparo de Deus. Nada pode ser mais gratificante do que aprender com o Mestre, permitir que Ele nos ensine sobre a vida, sobre a morte e sobre a eternidade como filho querido do Senhor. Sem titubear, enxergando a vida como realmente ela é.

Deus é o pai que correu ao filho pródigo quando este chegou em casa manquejando. Quando a vida fechou todas as portas em seu favor. O pai sempre fica à espera do filho bandoleiro e desobediente. Deus chora por nós quando a vergonha nos paralisa. Deus nos ama como realmente somos, quer gostemos disso, quer não. Deus nos chama, como chamou a Adão, para sairmos de nosso esconderijo de medo para nos apresentarmos em Sua bondosa presença.

Como é precioso quando nos sentimos seguros na preciosa presença do Senhor. Sentir-se seguro é deixar de viver na mente, descer fundo ao coração e sentir que somos queridos e aceitos pelo Pai; é saber que não precisamos mais nos esconder das situações da vida que nos amedrontavam e causavam pânico aos nossos coração.

Quando sentimos o amor do Pai por nós, aprendemos a viver sem necessidade alguma de impressionar ou deslumbrar as pessoas, ou chamar a atenção delas para nós. Vivemos sem reservas, olhando a realidade à nossa volta com outros olhos e com outros interesses. Aprendemos uma nova maneira de enxergar as pessoas e a nós mesmos, sem temores, sem nenhuma ansiedade sobre o que acontecerá no momento seguinte, apenas descansando na soberania divina, sabendo que o amor do Pai nos é suficiente.

Como é bom saber que o Senhor nos conhece na profundidade do nosso ser. Como é maravilhoso saber que Deus nos ama mesmo antes que o amássemos e demonstrássemos qualquer tipo de interesse por Ele. Como é bom saber que o valor que o Senhor atribui a nós não é balizado em nossas posses e em nossos talentos. Como é bom saber que a estima que recebemos do Pai não vem da nossa reputação ou do nosso nome, mas tem como origem o Seu amor e a Sua misericórdia.

A única coisa que precisamos fazer para desfrutar desse amor é ancorar a nossa vida em Deus, diante de quem devemos permanecer desprovidos de qualquer interesse pessoal, convictos de que Ele nunca nos abandonará e nem nos deixará sozinhos. Esse é o Deus que servimos e que nos diz: “Você é meu filho, meu filho amado”.

Voltar