Mensagem Pastoral

O PESO DO JULGAMENTO

13 Out 2019Pr. Hércio Fônseca

“Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês.”
(Mateus 7.1-2)

Infelizmente, constantemente, temos que conviver com os julgamentos de pessoas que nem sempre falam a verdade a nosso respeito. É triste conviver com a realidade de que sempre estaremos sendo julgados por alguém. O problema é que, na maioria das vezes, por trás desses julgamentos, há outros interesses sobre os quais nem sempre saberemos a verdade sobre o desejo do julgador.

Existe uma expressão popular que diz: “Quem vê cara não vê coração”. Essa verdade popular nos ensina muito, pois, na maioria das vezes, julgamos as pessoas pelas conclusões que tiramos a partir da sua aparência, sem conhecê-las de fato.

Em quantos momentos não fomos enganados por julgarmos os outros pelo que os nossos olhos viram? Certamente, assim como eu,você já sofreu decepções com alguém por tê-lo julgado com base, unicamente, em sua aparência.

A verdade é que somos extremamente precipitados em nossas percepções sobre os outros e, com isso, acabamos ferindo as pessoas com nossas posições inconsequentes e sem propósito. Cada pessoa é muito mais que aquilo que veste, come ou diz. A beleza física nem sempre é proporcional à simpatia, nem a inteligência ou educação igual à sabedoria. Para realmente conhecer uma pessoa, precisamos nos envolver com ela.

As aparências podem levar a julgamentos injustos. Em João 7.24 está escrito: “Não julguem apenas pela aparência, mas façam julgamentos justos. Jesus não tinha aparência impressionante, nem bonita. Mesmo sendo o Salvador prometido, ele foi rejeitado por muitas pessoas por causa da sua aparência.

Mas não é apenas a aparência física que engana. Existem pessoas que parecem sábias e justas, mas que na verdade não servem a Deus. O diabo finge ser muita coisa boa para enganar as pessoas, mas continua sendo quem ele é, o diabo.

A verdade é que nossos julgamentos são falhos e, por essa razão, temos que nos espelhar em Cristo e em sua Palavra se desejamos fazer algum comentário ou julgamento de alguém. Nossos parâmetros são falhos e cheios de interesses escusos e podem nos levar a destruição de nossos relacionamentos.

Não devemos julgar as pessoas como se fôssemos mais especiais, como se tivéssemos uma condição diferente da delas, com ar de superioridade, falsa santidade, arrogância, vaidade, orgulho, vanglória ou qualquer outro sentimento canal.

Muitas pessoas olham para terceirose se esquecem de averiguar seus próprios erros. Os fariseus eram duramente criticados por tal postura hipócrita. Por isso, olhe primeiro as suas falhas, antes de julgar e condenar os outros.

Voltar