Mensagem Pastoral

QUANDO O POUCO SATISFAZ!

11 Nov 2018Pr. Hércio Fônseca

“Descobri que não há nada melhor para o homem do que ser feliz e praticar o bem enquan­to vive.”
(Eclesiastes 3.12)

Desde criança escuto uma frase que entendo ser repleta de sabedoria: “O pouco com Deus é muito e muito sem Deus é nada”. Em minha infância, sem entender muito o seu real significado, repetia essas palavras para justificar, para aqueles colegas que possuíam muitas coisas, a minha necessidade e ausência daquilo que eu não tinha.

Hoje, entendo que a justificativa da frase me dava um certo conforto, sossego, alento. Enquanto os outros exibiam os seus bens, eu olhava o pouco que tinha e o atribuía a Deus, demonstrando gratidão.

Passados alguns anos, conhecendo Deus verdadeiramente, comecei a entender que, realmente, não precisamos de muita coisa para nos satisfazermos e sermos felizes. Valorizar as pequenas conquistas, e usufruir as coisas simples da vida, gera em nosso coração um sentimento de realização inigualável.

É com pesar que acompanhamos a sociedade dos nossos  dias  mergulhada em um mar de insatisfação. Vemos homens e mulheres cedendo ao apelo do consumismo e ao desejo exacerbado de ter sempre mais, sem perceber que sequer estão usufruindo de tudo o que possuem.

As pequenas coisas podem fazer grande diferença em nossas vidas. Se não aprendermos a nos satisfazer com o que temos, viveremos sobre o peso da cobrança constante de termos algo a mais que necessitamos. Às vezes, as pequenas coisas passam até desapercebidas, mas são exatamente elas que vão adornar  e dignificar a nossa vida.

Entender que não precisamos de muito para ser feliz, nem sempre é bem visto por muitos. Olhar a vida com gratidão e entender que as nossas reais necessidades não são supridas pelas coisas supérfluas, mas pelas corriqueiras e simples do dia a dia, é a primeira receita para algúem viver bem consigo memo.

Ás vezes, queremos encher as pessoas que amamos de presentes caros, e tudo o que elas mais desejam são os nossos abraços sinceros e os nossos gestos mais simples de afeto, carinho e atenção.

Quantos filhos trocariam seus computadores, seus equipamentos tecnológicos por uma conversa sincera com os seus pais! Quantos seriam capazes de abrir mão de bens preciosos para desfrutar de momentos sinceros ao lado de pessoas que as amam verdadeiramente!

Não podemos nos esquecer de dar o real valor às coisas pequenas que possuímos, pois, lá na frente, desejando usufruí-las, pode ser tarde demais. Ser feliz é ter a capacidade de se satisfazer com o que Deus tem colocado em nossas mãos e aprender a dizer que o pouco com Deus é muito!

Voltar