Mensagem Pastoral

VENHA A MIM E BEBA!

10 Nov 2019Pr. Hércio Fônseca

“No último e mais importante dia da festa, Jesus levantou-se e disse em alta voz: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba.”
(João 7.37)

A proposta de Jesus para nós é de saciar a nossa sede. A sensação de sede é algo angustiante, ninguém sobrevive com sede, por isso Jesus se coloca como fonte de águas que sacia a nossa sede. Embora a sede física seja angustiante e até nos leve a morte, eu tenho certeza de que a pior condição do homem é quando ele se sente com o coração seco, espiritualmente vazio, sem sentimentos, sem vida, com sede espiritual.

Se em nosso coração se formou uma crosta, se o nosso espírito está ressecado, se a nossa alma está sem vida é um grande sinal de que estamos afastados de Deus, vivendo o nosso próprio destino; estamos sem direção e carecemos urgentemente beber da fonte que provê todas as nossas necessidades.

O Senhor nos criou com necessidades. Deus nos fez completos, contudo gerou em nós mecanismos de defesa que revelam quando estamos em perigo, quando estamos precisando de socorro. Quando sentimos sede, um indicador de que está faltando líquido em nosso organismo é acionado e logo vêm os sinais: boca seca, dor de cabeça, joelhos fracos. Quando nos privamos do líquido tão necessário, o nosso corpo nos avisa imediatamente.

Se privarmos o nosso espírito de Deus e de sua ação, certamente seremos avisados de que existe um vazio em nossa alma pela ação e pelo poder operante de Deus. Quando o nosso coração está desidratado, envia uma mensagem de urgência que revela a inquietação e a angústia de uma alma aflita por algo que lhe conforte.

O coração sedento de Deus revela uma vida sem significado. Toda pessoa sedenta espiritualmente será ríspida em suas ações, medrosa em suas atitudes e confusa em suas decisões. Nada pode ser mais prejudicial na vida do que negarmos a nossa sede de Deus. É triste quando sedentos definham e morrem, mas não expressam as suas necessidades, nem revelam as suas carências. Não queremos essa realidade para nós. Não queremos uma vida sem esperança, sem relacionamentos, cheia de incertezas, irritabilidade, insegurança e medo.

O Salmista, com muita propriedade, nos ensina a, na escassez da vida, clamamos pela fonte de águas vivas, quando nos diz no Salmo 42.1: “Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus”. Nada pode satisfazer os anseios da nossa alma, a não ser Deus. Não existe nada realmente que possa trazer satisfação plena, constante, perfeita, abundante, a não ser o Senhor agindo em nossas vidas.

Por mais significativo que possam ser as nossas conquistas e objetivos, tudo neste mundo é efêmero, as coisas que vêm se vão facilmente. Todos nós temos um vazio existencial que só será satisfeito na presença do Pai.

Voltar